Obrigado amigo(a)s leitores.

Image Hosted by ImageShack.us

DRTV RADIO ONLINE

Para tirar o som, clique em pause
PARA ENTRAR NA RADIO CLIQUE AQUI

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Barraca Marchesini - Entre as 10 Melhores Barracas de Caldo de Cana ou Garapa de São Paulo - Dá entrevista Exclusiva ao Jornal Cidade em Foco



Nesta segunda-feira foi a final da Premiação das 10 Melhores Barracas de Garapa de São Paulo, no Estacionamento do Estádio do Pacaembú . 
O Jornal Cidade em Foco  esteve presente para cobrir a Premiação e se encantou com a História de Renato Marchesini, entre as 10 Melhores Barracas de Garapa deste Ano.

Conheça a História de um dos Campeões

Renato Marchesini e sua equipe - Barraca Marchesini - Entre as 10 Melhores Barracas de  Garapa de São Paulo - Pacaembu 22.08.2011
foto: Beatriz Benz Jornal Cidade em Foco.com
Renato Marchesini ajuda o pai desde os 6 anos de idade nas feiras de São Paulo, aos 16 anos sentiu o peso de sua perda, ao perguntarmos à ele o que foi mais difícil nesses anos ele se emocionou, com um olhar distante, seus olhos se encheram de lágrimas e o nó na garganta o impediu dar de pronto a resposta...
“A perda do meu pai, foi a época mais difícil de minha vida. Passamos muitas dificuldades e com apenas 16 anos tive a responsabilidade de tocar o negócio da família juntamente com minha mãe.”
Sra. Maria de Lourdes Abreu Marchesini - Barraca Marchesini - Pacaembu SP dia 22.08.2011- 
foto Beatriz Benz Jornal Cidade em Foco.com

Redação: Pedimos à ele para contar um pouquinho de sua história:
Renato Marchesini: Bem, uma senhora e um menino de 16 anos e um veículo que vivia quebrando, nessa época só tínhamos feira  na Av. Ibirapuera aos sábados e de domingo na Vila dos Remédios. Consegui realizar um curso técnico de publicidade e investí na minha barraca, tudo foi eu quem criei, usei recurso de publicidade, pois tinha uma caminhonete velha mas precisava estar apresentável e chamar a atenção dos fregueses, consegui não só uma perua como várias e vários equipamentos de trabalho, hoje estamos em 16 feiras. Nesta época tive muita ajuda de meu tio Hélio e primo Helinho, mecânicos.

Redação: Onde nosso leitor pode tomar um dos melhores Caldo de Cana de São Paulo ?
3 feira – Pq. São Domingos ,Rua  Brigadeiro Henrique Fontinell e Rua Chico de Paula na  Freguesia do Ò
4 feira – Chácara Inglesa
5 feira – Jd. Santo Elias
6 feira – Perus – Noturna na Estação de Ferro e pela manhã Silvio de Campos
Sábado – Ibirapuera, Mangalot, Vila Mirante e Monte Alegre
Domingo – Vila Jaguará e Vila dos Remédios
Segunda – feira : Eu surfo, vou para a praia toda segunda-feira, com chuva, frio ou sol, o mar pode estar de ressaca o que for, é o único meio que encontro para relaxar !

Barraca Marchesini - Entre as 10 Melhores Barracas de  Garapa de São Paulo - Pacaembu 22.08.2011
foto Beatriz Benz Jornal Cidade em Foco.com
Redação: Qual sua dica para quem está começando ?
Renato Marchesini: “Muito empenho, não visar retorno de imediato, tem sempre que deixar o freguês bem satisfeito, a propaganda é o próprio freguês. Uma coisa mal feita é uma vez só, ele nunca mais volta.”
José Gonçalves Torres Presidente do Sindicato dos Feirantes & Renato Marchesini Proprietário da Barraca Marchesini - Entre as 10 Melhores Barracas de  Garapa de São Paulo - Pacaembu 22.08.2011
foto Beatriz Benz Jornal Cidade em Foco.com

Redação: Como é o ambiente entre os feirantes ?
Renato Marchesini: É como uma família, irmãos, são barracas diferentes mas há muita coisa parecida. A feira a 30 anos atrás com famílias, portugueses, japoneses, italianos, hoje temos muitos nordestinos também.
Eu preciso  e quero falar  um pouco sobre meus funcionários porque temos muita comunhão entre nós, não gosto que me chame de chefe ou patrão.
Eu Renato Marchesini na Direção, Minha mãe Maria de Lourdes Marchesini e minha esposa Sara Evangelinelis Marchesini  cuidam da administração, Suzana, Maria, Felipe, Douglas, Luís, Tânia, Luciano, Yasmim, Cristina, Bruna e Vitor no atendimento.
Felipe preparando um delicioso caldo de cana com abacaxi e limão (venda média de 100 copos diários de diversos sabores)
Barraca Marchesini - Entre as 10 Melhores Barracas de  Garapa de São Paulo - Pacaembu 22.08.2011
foto: Beatriz Benz Jornal Cidade em Foco.com
Redação: Qual o diferencial da sua barraca?
Renato Marchesini: Com sabores exóticos, gengibre, hortelã, morango, abacaxi, caju, maracujá e limão, o paladar sempre chama atenção do freguês.
Clientes da Barraca Marchesini - Entre as 10 Melhores Barracas de  Garapa de São Paulo - Pacaembu 22.08.2011 
 Foto Beatriz Benz Jornal Cidade em Foco.com

Redação: O que representava este Prêmio para você ?
Renato Marchesini: “Este Prêmio Representa o Reconhecimento por todos esses anos de luta, de investimento, de persistência,  hoje eu tenho 6 funcionários registrados, sou casado e tenho filhos, todos nós nos empenhamos muito para trazer qualidade para nossos serviços, desde a escolha da cana até o momento de servir ao nosso cliente e é muito bom ver desde pessoas comuns até pessoas famosas freqüentando nossa barraca, valorizando nossos serviços, um orgulho.
 Eu lembro meus avós de origem Italiana, que também foram muito importantes para mim, me ensinaram a trabalhar, meu avô Salvador Marchesini sempre dizia:  Que quem planta vento colhe tempestade, faça sempre o certo que você não há de arrepender.”
Barraca Marchesini - Entre as 10 Melhores Barracas de  Garapa de São Paulo - Pacaembu 22.08.2011
foto Beatriz Benz Jornal Cidade em Foco.com

Redação:  A que você atribui a esta premiação?
Renato Marchesini: Higiene, funcionários treinados usam luvas na manipulação do alimento, atendimento das meninas são um espetáculo, atendem muito bem, os moedores sabem tirar no ponto certo a cana, usamos recurso de gerador para usar liquidificador na barraca, muito importante para saber combinar com o caldo.
Estou muito feliz por estar representando nossa região, como eu gosto do nosso pessoal ! temos muitos artistas no Ibirapuera que são muito simples “pessoas que tem acesso a coisas boas e tomam caldo de cana com a gente e nos prestigiam.

Redação: Uma frase :
Renato Marchesini - Proprietário da  Barraca Marchesini - Entre as 10 Melhores Barracas de  Garapa de São Paulo - Pacaembu 22.08.2011
foto Beatriz Benz Jornal Cidade em Foco.com
"O maior reconhecimento vem do freguês"
Renato Marchesini
Barraca Marchesini, entre as 10 Melhores Barracas de Garapa de Feira de São Paulo



Nota da Redação: 
Está aí um exemplo de dedicação, de motivação, de profissionalismo, um exemplo a ser seguido.
Parabéns Renato à você em primeiro lugar por acreditar que seria possível, por superar seus limites e ir em frente acreditando e principalmente, por seu comprometimento com a qualidade e com seus clientes. A história deRenato Marchesini representa muito bem o nosso povo paulistano, que enfrenta desafios diariamente, um atras outro mas não desiste nunca, constrói sua história com suas próprias mãos mais cedo ou mais tarde o reconhecimento vem, é persistente por natureza, tem espírito empreendedor, tem metas, tem objetivos e sempre uma família que dá sentido à suas lutas e conquistas.
Durante nossa permanência na barraca, observamos muitos fregueses parabenizando a equipe, felizes e vibrando pela premiação, isto só fortalece e enaltece os esforços de todos eles que a tantos anos se empenham e hoje tem o reconhecimento  de seu Caldo de Cana o Melhor de São Paulo.

PARABÉNS à Você e Toda sua Equipe! 
Redação do Jornal Cidade em Foco
& Dra.Rosângela Matos 

Parabéns à Prefeitura da Cidade de São Paulo &
Ao Sindicato dos Feirantes da Cidade de São Paulo
por este Belíssimo Evento !

Benefícios do Caldo de Cana:
caldo de cana, e em muitas regiões também chamado de garapa, é nada mais que o líquido extraído da cana de açúcar no processo de trituração. Ele é consumido também in natura, como alimento muito energético. O caldo da cana é muito rico em diversos nutrientes. Ele possui um alto teor de minerais como o ferro que é muito importante para o sangue, o cálcio que é essencial para os ossos, o potássio, o  magnésio que é bom para as atividades orgânicas e além de ser fonte importante das vitaminas B e C. A
Além desses, as  vantagens de tomar caldo de cana é composto por antioxidantes: ácidos fenólicos (cafêico, sináptico e isômero do ácido clorogênico), flavonóides (apigenina, luteolina e derivados de tricina) e outros compostos fenólicos.
Os antioxidantes desenvolvem benefícios nas enfermidades cardiovasculares, em numerosos tipos de câncer, na AIDS e em processos associados com o envelhecimento, como das cataratas, Doença de Alzheimer e outras alterações do sistema nervoso.
O caldo de cana, devido a este alto teor de vitaminas citados acima, é um produto que serve como um suplemento alimentar natural. Após fazer uma boa atividade física, ele promete, ao ser ingerido, fazer a reposição de todo glicogênio perdido durante a atividade física. O caldo de cana também é ótimo para hidratar o corpo bem como auxilia no fortalecimento do sistema imunológico da pessoa. Mesmo estando em pleno inverno, vale à pena, nem que seja uma vez por mês, tomar um copo com este delicioso líquido e de sabor bem atípico.

sábado, 13 de agosto de 2011

Hoje é dia de vacina contra paralisia infantil


Mais de 14 milhões de crianças menores de cinco anos de idade devem ir aos postos de saúde de todo o Brasil neste sábado (13) para tomar a segunda dose da vacina que protege contra a poliomielite, uma doença que pode causar paralisia infantil. Em 18 Estados, mais de 17 milhões de pequenos que tiverem entre um e seis anos de idade devem se proteger também contra o sarampo.

O horário da vacinação depende da estratégia de cada cidade ou Estado – em São Paulo e no Rio de Janeiro os postos vão abrir das 8h às 17h.

A primeira dose da vacina, que é aplicada em forma de “gotinhas”, foi aplicada em uma campanha nacional realizada no dia 18 de junho. Tanto as crianças que tomaram a primeira dose quanto aquelas que não foram imunizadas devem ir ao posto de saúde. Essas vacinas são oferecidas gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e estão disponíveis durante todo o ano nos postos de saúde, para a imunização de rotina.

Mas tomar a dose durante as campanhas de vacinação reforça a proteção das crianças. A vacina contra a doença é feita com o vírus vivo atenuado, “enfraquecido”, então não há risco de contrair a doença de verdade – as vacinas são dadas para que o corpo crie uma defesa contra a infecção e fique “treinado” para combater o vírus.

Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, diz que tomar a dose durante a campanha também contribui para a proteção da comunidade como um todo.

– Tomando a vacina, o vírus atenuado se distribui no meio ambiente, protegendo aquela criança que não foi ao posto de saúde. Por isso o Brasil tem essa estratégia de fazer grandes campanhas de vacinação em curto espaço de tempo.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, explica que esse é o chamado “efeito rebanho”.

– Acontece uma espécie de bombardeio do vírus vacinal, formando uma capa protetora no meio ambiente, que favorece também as crianças que, por algum motivo, não receberam a vacina.

O objetivo da campanha é vacinar ao menos 95% das 14 milhões de crianças – se a vacinação ficar abaixo desse índice, há riscos para o país. Ao todo, 115 mil postos de saúde estarão abertos neste sábado.

De acordo com o Ministério da Saúde, a dose não tem contraindicação, mas crianças que estejam com febre acima de 38ºC ou com alguma infecção devem ser avaliadas antes de tomar a vacina. Os pequenos que estejam imunodeprimidos (com sistema de defesa do corpo muito sensível), como aquelas que passam por tratamento contra o câncer ou têm Aids, não devem tomar a vacina.

Entenda a doença 

A poliomielite é uma doença infecciosa causada pelo poliovírus selvagem, que pode atingir o sistema nervoso central e causar paralisia muscular ou até a morte.

A doença é altamente infecciosa e afeta principalmente crianças pequenas. O vírus é transmitido por meio de água e alimentos contaminados e se multiplica no intestino, de onde pode se alastrar e invadir o sistema nervoso. Com isso, ele pode destruir neurônios motores, que ativam os músculos. O paciente pode ter a chamada paralisia flácida, que atinge principalmente os membros inferiores.

Uma em cada 200 pessoas infectadas acaba ficando paralisada de forma irreversível. Entre essas pessoas, de 5% a 10% morrem porque os músculos envolvidos na respiração ficam paralisados.

Por causa das campanhas de vacinação contra a doença, realizadas no Brasil há mais de 30 anos, o país não registra casos da doença há mais de 20 anos – o último caso foi confirmado em 1989, na Paraíba.

O problema é que o vírus ainda circula em algumas regiões do mundo: em 26 países ainda há casos da doença e em quatro (Afeganistão, Índia, Nigéria e Paquistão) a transmissão é constante. Por isso é preciso continuar vacinando, para que a doença não volte.



fonte R7

domingo, 7 de agosto de 2011

AAPP - GRUPO DE AJUDA MUTUA AOS PORTADORES DE PSORÍASE


Objetivo: O Grupo de Ajuda tem como objetivo, reunir as pessoas com psoríase e seus familiares para partilhar/compartilhar, dar e receber informações, transmitir uma mensagem de alegria e orientar para atitudes positivas que podem ser adotadas nas situações do cotidiano de quem possui essa doença de pele, fortalecendo o lado emocional das Pessoas Vivendo com Psoríase.
Próximo Encontro
 10 de agosto às 19 horas no 
Espaço Saúde 
Rua Conde de São Joaquim 179,
Bela Vista 
(próximo ao metrô São Joaquim)

A AAPP e o Espaço Saúde terão um imenso prazer em receber as Pessoas Vivendo com Psoríase, familiares eamigos.
Para maiores informações e reserva ligar para a AAPP das 14h00 ás 18h00 horas ou nos enviar um e-mail. 
Fone: 11 5539-1781 / 11 3101-1110 
E-mail: aapp.psoriase@terra.com.br

Sua presença é fundamental para o sucesso de nosso evento. Compareça.
 EQUIPE ESPAÇO SAÚDE /AAPP

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Conselho Federal de Medicina define três novas especialidades


Medicinas do Sono, Paliativa e Tropical foram definidas pelo CRM

Profissionais da área de saúde poderão optar, no leque de especialidades médicas, por três novas áreas de atuação: Medicina do Sono, Paliativa e Tropical.
A novidade foi anunciada pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) que publicou na última segunda-feira (1), no Diário Oficial da União, a resolução 1.973/11, que estabelece a criação dos novos campos de atuação.
Evolução da Medicina
De acordo com o secretário-geral da AMB (Associação Médica Brasileira), Aldemir Soares, as novas áreas surgem como reflexo do desenvolvimento tecnológico e científico. No caso da Medicina tropical, por exemplo, a sua importância é inquestionável há muitos anos, porém, só agora existem recursos técnicos e científicos que permitem criar grupos de médicos focados nessa área.
No caso dos problemas de saúde ligados ao sono, a Medicina não dava mais importância a eles simplesmente por não conhecer o suficiente o campo. “Agora, já existe conhecimento suficiente na área do sono, o que permite a criação de especialidades médicas focadas nessa questão”, justifica Soares.
De acordo com o CFM, ao ingressar em um dos programas de residência como Otorrinolaringologia, Neurologia, Psiquiatria e Pneumologia, o profissional da saúde poderá receber treinamento adicional na área Medicina do Sono.
Medicina Tropical
Caso opte pelo programa de residência em Infectologia, terá formação também em Medicina Tropical. De acordo com o CFM, esse setor da Medicina vai trabalhar especificamente com doenças como malária, febre amarela, dengue, esquitossomose e leishmaniose, típicas de regiões tropicais.
O primeiro tesoureiro da SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia), Marcos Antônio Cyrillo, lembra que a Sociedade Brasileira de Medicina Tropical é uma instituição ainda mais antiga do que a própria SBI. Cyrillo avalia positivamente a criação desse campo de atuação média, já que as moléstias tropicais podem atingir de 2 bilhões a 3 bilhões de pessoas, levando em consideração que a maior parte da população mundial vive em regiões tropicais.
A perspectiva de Cyrillo também é que a criação dessa especialização leve mais médicos a estudarem as doenças tropicais e estimule cada vez mais os investimentos no combate a tais moléstias. “Por muito tempo, as doenças tropicais foram negligenciadas, sobretudo pelos laboratórios, já que eram moléstias específicas de países pobres e pessoas pobres”, avalia.
Medicina paliativa
Já nas especialidades como Clínica Médica, Cancerologia, Geriatria e Gerontologia, Medicina de Família e comunidade, Pediatria e Anestesiologia, haverá treinamento focado na área de medicina paliativa.
Nessa área, vale pontuar que dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) mostram que 65% dos portadores de doenças crônicas que correm risco de morrer necessitam de cuidados paliativos.
Soares, da AMB, ainda complementa que, com o aumento da expectativa de vida e a valorização da qualidade de vida, a medicina paliativa se torna cada vez mais requisitada. “As medidas paliativas são muito importantes para doenças próprias do envelhecimento”, pontua.
Dor
Por fim, a área de atuação da dor, que era associada anteriormente apenas às especialidades Anestesiologia e Neurologia, passa a ser associada adicionalmente à acupuntura, medicina física e reabilitação, Neurocirurgia e Ortopedia e Traumatologia.

Postagens Mais Lidas nos últimos 30 dias

Como consertar fraturas da Medical Animation

fonte: Tide Monteiro do diHITT

16/17 de Maio de 2009 - Céu Paz Jd.Parané - Coord.Juventude- Prefeitura da Cidade de São Paulo/SP

Nossos Leitores

Ação Global da Rede Globo 2011

Ação Global da Rede Globo 2011
Aconteceu no Pq. da Juventude no Carandiru dia 14/05